domingo, outubro 09, 2005

ESCREVO? LOGO RESPIRO!

Escrevo? Logo respiro
Que a vida só é verdade
Nos grandes actos de amor
E escrevendo, expondo a alma
Passa a raiva, chega a calma
E até o sono é melhor...
Escrevo e fico feliz
Por tudo o que aparece
Neste branco onde o matiz
Fala da vida, da dor
Das vielas do amor
Das veias da dor serena;
Escrevo e tudo me esquece
Tudo mais é acessório
Que o mundo só acontece
Nesse momento ilusório
Em que nasce O Poema!
O resto, pode ser lume
Pode ser água salgada
Pode até ser ribeirinho
A fazer o seu caminho
No tempo da enxurrada,
Mas não será mais que isso...
Acessório e mais nada;
Porque só o Poema importa
Só ele me abre a porta
À plena felicidade
Só ele tem o condão
De me levantar do chão
E de me dar liberdade!
Só ele traz a fragrância
que vive em mim e é distância
No mundo largo da vida
Só ele é paz e é calma
Doce bálsamo da alma
(pássaro de asa ferida).
E o Poema chegado
Não há tempo, nem pecado
Que não tenha remissão
Pode mesmo ser algema
Pode até ser escravidão
Mas é uma janela aberta
Na mente, sempre desperta
Porque é libertação;
Escrevo, logo respiro!
Escrever e respirar
São o mesmo para mim;
Não importa qual o tema
Respirar está no Poema
Como o Poema em mim!...

Maria Mamede

1 Comments:

Anonymous Bárbara (bb) said...

A poesia serve muito como desabafo e é bom saber que ela é tão importante para ti e obrigada por partilhares connosco.
(Desculpa o tu, mas estou a ver que me sai naturalmente, porque eu não te consigo ver com uma distância que me obrigue ao Sra. D.
Espero que não te importes)

5:20 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home