terça-feira, janeiro 31, 2006

RECORDAÇÕES

Guardo em meu olhar
As sombras do ocaso
Suspiros de entardecer
Espalhados no chão da noite,
Onde a volúpia do orvalho
Deixa marcas de amor vivido,
Sorvido, saboreado...

Guardo em meus sentidos
O aroma-frescura da manhã
Que se adivinha
Nos primeiros gorgeios do rouxinol,
Que a segura, incandescente,
No seu negro bico...

De ti, de nós, em mim guardo apenas
Recordações de cetim
No rosa-lascivo do dia que desponta,
Atapetado de quimeras!...


Maria Mamede

8 Comments:

Blogger wind said...

Lindíssimo e a calma que transmite este poema:) beijos

8:34 da tarde  
Blogger polittikus said...

É a primeira vez que por aqui passo, segui o link na CATEDRAl. Devo dizer que gostei do que li, por aqui...

10:01 da tarde  
Blogger lique said...

Vamos guardando esses tesouros em nós. Os sons, os cheiros, as texturas dos momentos de felicidade. :)
Beijinhos, Maria

11:55 da tarde  
Blogger AS said...

Minha querida amiga, é sempre um facínio ler as tuas letras!... É um prazer imenso ler os teus poemas...

Um abraço grande

3:32 da tarde  
Blogger polittikus said...

Um rol de sentimentos perdidos a sairem pela caneta. Gostei, aliás gostei muito...

5:33 da tarde  
Blogger Silêncios said...

Eu costumo dizer, feliz de quem tem algo a recordar...é porque valeu a pena...
Beijo

1:34 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá a todas (os)
Venho agradecer o vosso passeio pelo meu jardim.
Prometo que vos irei visitando sempre que possa.
Obrigada pelos girassóis das vossas mensagens.

Um BEIJO da
Maria Mamede

4:01 da tarde  
Blogger ☆Fanny☆ said...

Simplesmente lindo!
Um oásis de versos aconchegante cheio de aromas e mistérios.

Um beijinho*

Fanny

12:45 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home