quinta-feira, junho 22, 2006

MEU PORTO

Olá Amigos,

Ainda a propósito da Cidade a que chamo minha e depois de ver, apaixonadamente, alfumas fotografias que tiveram a amabilidade de me enviar através de e-mail, sobre o Meu Porto -à noite - tive de escrever algo que diz do meu amor eterno por esta Cidade e que, obviamente, fica muito aquém da sua beleza.


Eis o Poema



MEU PORTO

Quando a noite chega
com seu manto negro
e tu emerges do rio,
liquidamente coroada de luzes
meu coração acelera o compasso
e meus olhos, em êxtase
fundem-se em ti...
Pairo
gaivota em voo tardio
sem norte e sem rota
inebriada de luz
e poiso na areia..
Esqueço o ninho, a vida
e embalando o cansaço
adormeço
na espera dos primeiros alvores
dum dia de verão!...

Maria Mamede

9 Comments:

Blogger wind said...

Belo!:)
beijos

2:48 da tarde  
Blogger jorgesteves said...

Gostei de (re)lê-la por estes lados!...

amizade,
jorgesteves

3:59 da tarde  
Blogger Lmatta said...

Bravo Bravo
gosto
beijos

4:05 da tarde  
Blogger lena said...

Maria Mamede, minha doce e bela Poeta,
senti com os teus versos a cidade,
senti-a de várias cores,
sentia-a como se estivesse aí desse lado, onde a magia do Douro dá mais encanto, à cidade, nas belas noites de verão

Teu Porto, que abraças nestes versos e que me dás a beber, até me embriagares de tanta beleza

Obrigada poeta, ler-te é um privilégio

Um beijo meu e um abraço com carinho

lena

6:47 da tarde  
Anonymous Guilherme F said...

Maria, cheguei aqui por acaso e gostei muito. Palavras simples mas fortes (nos sentimentos, nas cores) sobre o Porto de que tanto gosto.
Bjs

9:26 da manhã  
Anonymous lique said...

Que coisa linda e como diz do teu amor por essa cidade! Gosto muito de te ver por aqui com mais regularidade.
Deixo um beijo e desejo de bom S. João!

1:09 da tarde  
Blogger Isa&Luis said...

Olá menina,

lindo lindo o teu poema, vibrei com a ternura das tuas palavras á cidade querida.


Beijinhos muitos para ti

Isa

4:34 da tarde  
Blogger Ana Maria said...

Querida Mamede também eu tenho andado recolhida na casca do caracol.
aguardemos melhores dias.

4:21 da tarde  
Blogger Ana Maria said...

o seu poema é liquido das palavras e corre pelas ruas da alma sem tropeços no endereço da foz.
jinhos

4:27 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home