domingo, novembro 20, 2005

COMO PARDAIS

Como pardais à solta, os meus sentidos
Adejam buliçosos, arquejantes
E vão e vêm a contar instantes
De dor e de prazer e seus gemidos...

Como pardais à solta, em cada ramo
Se deixam descansar de tanta lida
E beijam da incolor à mais garrida
Todas as floras que cultivo e amo...

Como pardais à solta esvoaçam
E qualquer rumo serve seu intento
E qualquer direcção é alegria;

Como pardais à solta, eles perpassam
Na sombra de ti, que acalento
E de que me visto, cada dia!...


Maria Mamede

1 Comments:

Blogger Menina_marota said...

"...Como pardais à solta, em cada ramo
Se deixam descansar de tanta lida
E beijam da incolor à mais garrida
Todas as floras que cultivo e amo..."

Lindo! Faz lembrar o Amor na Primavera... dos sentidos.

Um abraço ;)

12:46 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home