domingo, janeiro 04, 2009

NO PRIMEIRO ALVOR

É na cadência do verso
que a noite se demora...
é no ritmo do abraço
que ela se curva
e entontece
e volteia
com seu vestido azul
esquecida da hora
gerando
uma tempestade de estrelas.
Quando chega a madrugada
rende-se
à luz que desponta
e abraçada ao sonho
parte no primeiro alvor!...


Maria Mamede

9 Comments:

Blogger Maria said...

Às vezes era tão bom que não houvesse madrugada... o abraço da noite é tão especial...

Obrigada, querida Maria Mamede

Beijos

10:33 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Um lindíssimo poema (como sempre...) cheio de música. Beijinhos.

2:57 da manhã  
Blogger Belisa said...

Olá :)

Tive saudades de si
De ler seus poemas
Quando me lembro
de voltar a fazer rimas...

Também queria lhe perguntar
Se sabia algo de VITOR NOGUEIRA
Tenho ido "ao sabor do olhar"
E está sempre da mesma maneira!

Beijos estrelados

9:08 da manhã  
Blogger Graça Pires said...

Sempre que a noite se demora em nossos olhos nasce um poema...
Um beijo.

10:46 da manhã  
Blogger contracena said...

A "noite", "a madrugada", a primeira luz do dia - "alvor", são fontes inspiradoras para que se escrevam belos poemas. Como este!

Saudações.

2:53 da manhã  
Blogger José Rui Fernandes said...

"meio mulher,
meio sonho" dizia Tagore.
"inspirada,
e inspiradora", digo eu.

JRF

1:05 da manhã  
Blogger Ana said...

Na cadência do verso, a poesia que nos embala as madrugadas. Tão belo!

Um bom ano para ti , Maria.

2:59 da manhã  
Blogger Teresa David said...

Um belo poema por onde transpassa uma enorme suavidade no estar e sonhar.
Há muito que não a visitava, mas os últimos tempos a saúde traiu-me ao ponto de ter visto a morte tão de perto...
Bjs
TD

12:28 da manhã  
Blogger margusta said...

Divino!!!

Já tinha lido todos eles...hoje apenas deixo as minhas marcas!

Beijo!

11:00 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home