segunda-feira, junho 04, 2012


NASCIMENTO

O dia tinha nascido
havia pouco
nascia uma “mulher”
logo depois
passou a mesa
a ter mais um talher
deixou na casa
de haver somente dois…
dorida e feliz
a Mãe sustinha
a “mulher” nascida
do seu seio
e no seu belo rosto
uma ruguinha
a mais, com ela veio
temendo o futuro
iniciado
pela pequena “mulher”
dormindo ao lado…

4/Junho/2012

M.M.

3 Comments:

Blogger O Profeta said...

Um sótão cheio de lembranças
Escrevi no pó palavras sem nexo
Retirei uma cartola de uma caixa de cartão
E senti ao toque o poder da ilusão

Ilusões…
Um cavalo de pau perdido ao carrocel
Uma estola de um bicho qualquer
Uma escultura talhada a cisel

Uma foto a preto e branco
De uma mulher sem rosto
Uma janela virada para nenhum lado
Uma traquitana a imitar o sol-posto

Terno abraço

8:39 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Profeta, há quanto tempo.
Bj. e Obrigada.
M.M.

11:53 da manhã  
Blogger Filoxera said...

A preocupação materna, num poema tão terno...
Abraço-te, querida amiga.

8:21 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home