quarta-feira, março 05, 2008

NOS TEUS OLHOS

Nadam peixes nos teus olhos
lagos de águas aflitas
nadam peixes de desditas
onde há limos que são escolhos...

e são limos os escolhos
onde há peixes de desditas
nadam peixes nos teus olhos
lagos de águas aflitas...

entre limos nadam peixes
em teus olhos que são lagos
com águas turvas d'escolhos

não te perturbes, não deixes
que me afogue nesses lagos
com peixes, que são teus olhos!...


Maria Mamede

17 Comments:

Blogger Waipu Carolina said...

Es precioso!
Siempre los ojos dicen tanto...
Un beso

1:32 da tarde  
Anonymous charroco said...

Epá , desculpa lá ter atracado aqui , mas o raio do motor da traineira avariou outra vez , deve ser a vela encharcada . É o que faz comprar no chinês , são baratas mas ...

Já agora curti o teu blog , é baril .

Abraços , tenho de aproveitar a maré ...

2:19 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

Um belo poema. A tradicional lírica portuguesa a soar sempre musicalmente. Um beijo.

7:21 da tarde  
Blogger Pepe Luigi said...

Maria Mamede,

Fenomenal poema este em que há um jogo permanente de aliteração descritiva.
Adorei, minha querida senhora!

Um beijinho
do Pepe

7:52 da tarde  
Blogger Maria said...

Querida Maria Mamede

Adorei este soneto feito de jogo de palavras, quase um esconde esconde de amor...
...afinal o que não dizem os olhos?

Beijinhos, Amiga

9:45 da tarde  
Blogger Filoxera said...

Que bom, voltar a conviver com a tua inspiração poética!
Beijos.

11:18 da tarde  
Blogger T S said...

...olhos que falam...
um beijo amiga,amei,seu sentir!!
ts

3:48 da manhã  
Blogger Paula Raposo said...

Adoro este jogo de palavras que torna o poema tão belo!! Beijos.

10:46 da manhã  
Blogger O Profeta said...

Olhos que nadam em lagos de coloridos peixes...sublimes sonhos...


Passou o dia sobre as cidades
Esquecido por esta estação
Uma flor deposita no vento uma semente
Este ribeiro leva consigo a ilusão

Secretamente a terra a recolhe
Guarda-a da voragem do vento
Espera que agua a fecunde
Explode a vida a cada momento

Convido-te a sentir a magia do fim do dia
ao toque das trindades…


Doce beijo

11:21 da manhã  
Blogger Suave Toque said...

"Trago na força da vida,
O amor...a alegria...
Juntando novas palavras
Transformando o mundo em cor
Trilhando novos caminhos
Conhecendo outros mundos
Encontrando-me com você
Deixo-te aqui o melhor."

Um feliz e alegre final de semana.
Beijos de carinho.
Elcia Belluci

Lindo poema minha amiga borboleta.

12:40 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Lindo poema, querida Maria Mamede. A sonoridade do poema, a leitura flui como a água dos lagos dos olhos referidos no poema.
Isto é poesia da boa. Da que me atrai e saboreio verso a verso.

Deixo-te mil beijos

9:16 da tarde  
Blogger lua prateada said...

Parabéns muito lindo...
Passei para te deixar um raio do meu luar...Estou partindo para minha lua e te deixo com saudade...
Bom fim de semana.
Beijinho prateado com carinho
SOL

3:13 da manhã  
Blogger Gerlane said...

Os olhos realmente são como rios profundos, com tantas coisas imersas em si.

"Uma mulher tem que ter qualquer coisa além da beleza,
Qualquer coisa de triste, qualquer coisa que chora,
Qualquer coisa que sente saudade.
Um molejo de amor machucado,
Uma beleza que vem da tristeza de se saber mulher,
Feita apenas para amar, para sofrer pelo seu amor
E para ser só perdão."

Vinícius de Morais

Um ótimo dia 8 de março!

Beijos pra ti!

10:00 da manhã  
Blogger Tiago' said...

Gostei... nadam peixes nos teus olhos... e nadam peixes nas tuas palavras!

Tiago'

11:38 da manhã  
Blogger Maria Faia said...

Querida Amiga,

Neste dia dedicado a nós, venho deixar-te um beijo particular, com muita Paz, Liberdade e Verdade.

Tudo de bom,

Maria Faia

10:47 da tarde  
Blogger ayshynek said...

Continuo a achar que está na hora de dar voz (musicalmente) aos teus poemas, são de uma musicalidade fantasticas, acho que qualquer dia vou propor-me a esse desafio...

É mesmo muito bonito o teu poema...
Bjo

3:46 da tarde  
Blogger tufa tau said...

e eu nadei também. entre o azul e verde me perdi. nas águas de transparentes me achei. nas tuas palavras me revi.

abraço

10:23 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home