quarta-feira, julho 20, 2011

In "Em Corpo e Alma"

No arco do vento
na seta da espuma
nas ondas cambraia
chegando, uma a uma
na corça da luz
no fogo do espaço
nos braços em cruz
sempre que te abraço
desliza feliz
a alma e vai embora
e cantando diz
que chegou a hora
de ser arco do vento
e seta de espuma
cambraia, lamento
ou coisa nenhuma!...

Maria Mamede

7 Comments:

Blogger Mel de Carvalho said...

Maria, leio-a há muito. Hoje decidi comentar - a cadência deste poema tocou-me especialmente.
"Coisa nenhuma" me sinto tantas vezes ...

Permita-me um fraterno abraço
Mel

PS: Tomarei a liberdade de a linkar

8:27 da tarde  
Blogger Maria said...

Terá já chegado a hora?
Gostei de te ler, como sempre, Maria.

Beijo.

10:12 da tarde  
Blogger Filoxera said...

Um lindo poema. Cheio de corpo, alma e...
compasso.
Beijos.

10:31 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

Um poema cheio de música e de ritmo.
Muito belo!
Beijos.

12:32 da tarde  
Blogger 。♥ Smareis ♥。 said...

Um lindo poema, assim me sinto algumas vezes. Gostei muito de te ler e voltarei mais vezes. Parabéns! Um abraço pra ti.

7:02 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Samreis, obrigada pela sua visita.
Fui ver o seu Blog e por qualquer motivo que não sei, não consegui comentar.
Gostei MUITO do que li. Obgd. pela partilha.
Bj.
M.M.

7:52 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

como sempre um bom poema.
tb me sinto por vezes "coisa nenhuma"
beij

8:58 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home