sexta-feira, julho 27, 2007

O TEU SABOR

Sabes-me a amoras maduras
e cheiras a caminhos velhos
bordejados de silveiras
onde esse odor resiste...

sabes-me a maresia
e cheiras às algas
que a praia aprisiona
no vai-vem das marés...

sabes-me aos montes da costa
onde crescem os eucaliptos
e os pinheiros fenecem
queimados em dor...

sabes-me a canções de embalar
enquanto a raiva
te cresce no peito
em lágrimas...

sabes-me aos pés doridos
doutras grilhetas
e às mãos reféns
doutras doutrinas e pátrias...

sabes-me a medo, fel de todas as entranhas
e a recordações felizes
avistadas por uma nesga
de janela, na prisão longínqua...

sabes-me, às vezes
a futuro prometido
ânsia desmedida da alma
à espera da hora!...


Maria Mamede

22 Comments:

Blogger Sophiamar said...

Sabes-me a figo maduro
desta terra meridional
Sabes-me a futuro
e a amizade leal

Mais um poema lindo! As palavras fluem-te quais cachos de cereja e deixam-me um travo doce na boca.

Beijinhossssss

4:00 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Isabel, boa tarde!
Como sempre amáveis e delicadas as tuas palavras, Amiga.
Um beijo de Paz da

Maria Mamede

5:51 da tarde  
Blogger Maria said...

Poema de amor e de resistência, a um tempo...
Tão lindo, Maria Mamede...

Bom domingo
Um beijo

2:21 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Minha querida Maria, que bom !
É isso mesmo; Amor e revolta, perene, em "fogo lento", que sempre me vai na alma e que embora raramente saiba dizer doutro modo, mói e mói enquanto a alma durar...e como acredito que é eterna...

Beijos Amiga.

Maria Mamede

7:07 da manhã  
Blogger Bichodeconta said...

Olá amiga, não , não estou de férias, tão somente um problema no pc , mas que já está solucionado... Obrigada ainda assim pela visita, pelas palavras também.. Eu ando um pouco preocupada com um amigo, O António Melenas faz-me falta também. Vamos dar as mãos para que ele volte aqui ao nosso convivio.. Beijinho Maria, Desculpe , não é peiguice, é uma falta que vem de dentro.. Um abraço, Ell

12:11 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

OLÁ ELL, boa tarde Amiga!
Fico feliz que me tenha dado resposta; obrigada.
Vou tentar passar lá pelo Blog desse Amigo.

Um beijo enorme e melhoras de disosição.

Maria Mamede

4:12 da tarde  
Blogger Fernanda e Poemas said...

Gosta de poesia, e de facto é linda a sua poesia.
Fiz uma visita rápida, mas adorei!

Beijos,

Fernanda

9:38 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Fernanda, boa noite!
Obrigada pela sua vinda e pelo seu comentário.

Também já dei uma voltinha pelas suas palavras e silêncios e voltarei!

Abraço

Maria Mamede

10:08 da tarde  
Blogger Maria Faia said...

Olá Amiga Maria Mamede,

Mais uma vez, só posso dizer que amei.
Enquanto lia, passaram pela minha memória, vivência passadas, umas boas e outras nem tanto.
E, no final, ficou-me este gosto:
"Sabes-me a vida dorida,
de alma descontente...
A criança crescida,
sem apoio nem batente."

10:49 da tarde  
Blogger Meg said...

Bastas vezes passo por aqui para ler, mas principalmente para sentir.
Porque as palavras muitas vezes atrapalham, e na poesia que aqui encontro há muito do sentir que me toca.
Porquê? Quisera eu saber também porque me deu para "falar" hoje, agora.
Porque gosto, simplesmente.
Pelos momentos que aqui passo, mesmo que em silêncio, o meu apreço.
Um abraço

12:01 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

Um belo poema.´
Gostei.

1:00 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Maria Faia, bom dia Amiga!
Obrigada pelo que me diz; também gostei!
Como já tenho dito e não me canso de repetir, fico feliz sempre que "as minhas coisas" agradam aos outros(as). Quem escreve, não escreve somente para si; escreve também para os outros(outras) Poetas de alma;

Um beijo enorme e boa Semana de Férias ou de Trabalho!

Maria Mamede

7:04 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Bom dia Meg!
Obrigada por ter passado e desta vez ter deixado a sua impressão.
As sensações ( se forem boas, obviamente) que deixo em cada leitor/a, alimentam a minha alma e muitas vezes são o incentivo para contiuar.

Um beijo da Maria Mamede

7:08 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Vieira Calado, bom dia"
Obrigada pelas suas passagem e mensagem.

Tenha uma boa semana.


Maria Mamede

7:09 da manhã  
Blogger TINTA PERMANENTE said...

Ter o cheiro de caminhos velhos e saber a amora madura...
(Já) Falta quem lhe saiba o saber!
Belo (naturalmente) o poema, amiga.
Abraço.

5:43 da tarde  
Blogger C Valente said...

sabores que o amor trás Gostei
Obrigado pela visita, sempre ao dispor, eu por mim, aqui passarei
saudações

5:59 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá meu Amigo, boa tarde! Que bom que veio até cá; já sentia a sua falta!!!
Obrigada pelas suas palavras...realmente vão faltando os caminhos velhos, as amoras e os/as apreciadores/as das mesmas, mas para isso estamos cá nós, a dizer das coisas velhas, como os caminhos e os Fortes e os sabores e tantas outras coisas, para que não caiam no esquecimento...

Um abraço de muita Amizade
da
Maria Mamede

6:28 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Obrigada C Valente, pela sua visita!
Vou deixar a cancelinha aberta para que entre sem bater!


Abraço e bom fim de tarde


Maria Mamede

6:32 da tarde  
Blogger Waipu Carolina said...

Olá amiga,

Agora acabei um meme que me enviaste que me deu muito gosto o fazer e passar a tarde preparando. Um beijo
Tudo bom ficou?

Bela poesia.

8:22 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Bom dia Carolina!Obrigada pela visita e pelo convite aceite.Vou já espreitar o teu Blog.
Um beijo enorme e uma Semana de Paz.

Beijos da

Maria Mamede

8:05 da manhã  
Blogger Menina_marota said...

"...sabes-me a maresia
e cheiras às algas
que a praia aprisiona
no vai-vem das marés..."

e que sabores estes! Que sabores!

Lindo... é tão bom ler-te!

Beijo e bfs :)

12:05 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Minha Menina, que bom ter a tua visita!

Beijos

Maria Mamede

4:18 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home