domingo, agosto 12, 2007

É DE SILÊNCIO O NOME...

É de silêncio
o nome que te chamo
meu amor sem nome
conhecido
dum silêncio que grita
em meu ouvido
enta ânsia dor
com que te amo!
É de sede o beijo
que te ofereço
desta imensa sede
que é tortura
esta falta de água
esta amargura
pela falta dessa boca
que reclamo!
É de fome o abraço
que te peço
da fome de quem vem
doutras paragens
dessa de quem fez
tantas viagens
é de fome o abraço
que te peço!
É de sonho a vida
que procuro
do sonho de quem busca
e ousa e quer
do sonho que é mais sonho
na Mulher
é de sonho a vida
que procuro!
É de silêncio a força
com que te amo
esta força trovão
à flor da pele
esta força que cresce
e que me impele
e é de silêncio o nome
que te chamo!...


Maria Mamede

26 Comments:

Blogger Sophiamar said...

Que se pode dizer, POETA, de um poema como este? Lindo! Arrepiante! Comovente!
Deixo-te um beijo, um abraço e o desejo de que este fim de semana seja de sonho. Tu merece-lo e nós precisamos que, sonhando, faças mais e mais poesia.
Eu também preciso deste oxigénio para viver.
Bom Domingo!

9:16 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Obrigada minha querida Isabel madrugadora: Tudo de bom para ti também,Amiga.
Beijos


Maria Mamede

10:55 da manhã  
Blogger C Valente said...

poema sentido,
saudações amigas

9:46 da tarde  
Blogger Victor Nogueira said...

Olá :-)
Um poema que parece um rio cheio de força em crecendo, apesar do «silêncio»
Bjo
VM

10:37 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

C.Valente, obrigada por ter vindo!

Abraço e votos de boa semana da

Maria Mamede

11:33 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Victor, boa noite!
Que bom que chegas...
Este rio imenso de silêncio, é apenas um "ribeiro" que corre na minha"aldeia"...que sendo pequena,
(na dimensão do meu peito) o faz maior que todos os rios do mundo.

Beijo

Maria Mamede

11:37 da tarde  
Blogger Waipu Carolina said...

Olá Maria,
Não te imaginas que força tem esta poesia. Profunda. Os sentimentos do que ama sempre tão complexos, tão imensos. A fome do amor, o silêncio do que ama, a espera e a loucura.
belo!!!!
um abraço

6:26 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Carolina! Obrigada!

...é isso que de belo tem a poesia; ser capaz de irmanar no sentimento, quem a escreve e quem a lê!

Beijo Amiga.

Bom dia e boa semana.

Maria Mamede

8:00 da manhã  
Blogger TMara said...

«(...)de silêncio o nome com que te chamo(...)»
e nesta frase encontro condensada a força e luz deste poema.
Não te inquietes comigo pq as pedras têm muita luz. Mesmo os calhaus rolados nas arestas das rochas e das areias, têm uma luz e uma voz que chama quem as saiba ouvir.
Bjocas
Luz e paz

11:31 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá TMara, boa tarde!

Eu sei que sim...mas há mais luz noutras coisas!

Daí a minha convera...

Beijos

Maria Mamede

3:34 da tarde  
Blogger C Valente said...

não é este omeu estilo,mas achei que o devia fazer hoje vou terminar este capitulo
Saudações amigas

4:09 da tarde  
Blogger Meg said...

...É de fome o abraço/que te peço/
da fome de quem vem/doutras paragens/dessa de quem fez/tantas viagens...
Imagem reveladora e sugestiva...
Beijinhos

5:55 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Meg, boa tarde!
Obrigada pelas suas palavras e pela visita.
Revelação(pelo menos de algum tipo) é o que pretende a autora, desnudando a alma em cada poema e em cada post.
E se o cossegue, é feliz.

Abraço

Maria Mamede

6:25 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Meg, desculpe; na última linha da minha resposta anterior,há um erro... deverá ler-se "se o consegue..."


Maria Mamede

6:28 da tarde  
Blogger lena said...

Minha doce e querida Poeta, fiquei agarrada ao teu poema

é vida, é sentimento, é verdade, é amor, é sede de um nome, é fome de um abraço, é sobretudo poesia, tão bela e tão doce

em silêncio fico aqui a ler-te e a saborear, matas-me a sede e a fome com o que escreves, minha doce poeta

é uma dávida ler-te

abraço-te com muita ternura, abraço-te com carinhio e amizade

e deixo-te um beijo meu


lena

10:38 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Querida Lena, agradeço sempre reconhecida a tua vinda.
Abraço-te também com carinho e Amizade.
Obrigada por me leres com essa luz!

beijo da

Maria mamede

11:52 da tarde  
Blogger Alex said...

Maria, que palavras bonitas encontrei no Amarras Dispersas ... obrigada!


Mas belas, belas são as palavras que aqui continuam a nascer.

Um beijinho muito grande.

11:54 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Alex.

Obrigada pela visita e pelas palavras.

Um beijo da

Maria Mamede

12:00 da manhã  
Blogger Bichodeconta said...

Começar o dia a ler um poema desta dimensão, deixa-me com uma energia renovada, com mais vontade de enfrentar o mundo .. Lindo e sentido , a Maria sabe do que falo.. Parabéns, tudo de bom, num abraço da Ell

11:11 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Ell bom dia!
Obrigada Amiga pelo comentário.
Vamos vivendo e esperando que o desconhecido se faça conhecido e, quem sabe, possa ficar, pelo amnos algum tempo...
E ao jeito de Vinícius...seja pelo menos "infinito em quanto dure!"...
Beijos

Maria Mamede

11:43 da manhã  
Blogger Poeta da Lua said...

grito e silêncio...

fome
de amor...
a fome
dói...

e amor?
e amor?
e amor?


é. dói?...

um abraço e um sorriso!

11:27 da tarde  
Blogger Maria said...

"...do sonho que é mais sonho
na Mulher..."
"É de silêncio a força
com que te amo"

Tão bonito este amo(a)r, querida Maria....
Beijos

12:23 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Para ti Poeta da Lua, o meu abraço de agradecimento por teres vindo e pelas palavras.

E que a Lua seja presente!!!


Abraço

Maria Mamede

10:26 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Maria, bom dia!
...e não é, Amiga!!!
Haverá alguém que sonhe mais, que faça do sonho verdade? que seja
tão poeticamente "fingidor" com as coisas de verdade como dia Pessoa!!!
Obrigada pela tua visita.

Beijo e bom feriado!

Maria Mamede

10:28 da manhã  
Blogger Sophiamar said...

A manhã nasceu há pouco.Partilhar estes momentos contigo é magnífico.Porque nem só de pão vive o homem, vim procurar este divino alimento para o espírito.
Beijinhos....e saio em silêncio.Tem um bom dia!

8:00 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Minha querida Isabel, bom dia!
Obrigada pela passagem e pela partida em silêncio!!!
Também (contrariamente ao costume)
ando prenhe de silêncios!

Beijo Amiga


Maria Mamede

10:52 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home