quarta-feira, agosto 08, 2007

INFINITO

do infinito vem e dele é feito
este infinito Amor, enquanto dura
é infinito bem ou mal sem cura
todo prazer e dor, tão a meu jeito...

do infinito nasce; em paz virá
do infinito chega e é paz em mim
assombrosa flor que em meu jardim
tem o doce olor da Rosa-Chá...

e infinito o quero e o desamo
grilheta de luz, escravo e amo
na força do sentir, o mais bonito

ó infinito Amor, serenidade
qu'importa quanto dure esta verdade
se no tempo que fores és infinito?!...


Maria Mamede

25 Comments:

Blogger Meg said...

Qu'importa quanto dure esta verdade
se no tempo que fores és infinito?!

E por aqui me fico, a ler e reler, a saborear o som das palavras...

Escrever é um dom, e esse dom está aqui expresso.

Uma abraço

8:21 da tarde  
Blogger Entre linhas... said...

Infinito uma lnha vector onde o tempo pemanece quieto e sereno.

Um grande dom na arte de bem escrever.
Bjs Zita

10:01 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Zita, boa noite...
Obrigada pela visita e pelo comentário! Fico feliz sempre que alguém gosta do que escrevo.

Um beijo da Maria Mamede

10:05 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Boa noite Meg; obrigada por ter vindo até cá e ainda bem que gostou.
Quem escreve, como se abe, não escreve somente para si, escreve também para todos(as) quantos(as) amam as palavras.

Um beijo da

Maria Mamede

10:06 da tarde  
Blogger Victor Nogueira said...

Olá :-)
Quase dois anos de poesia é muita poesia para ler duma vez, mas sim para ir saboreando aos poucos, o que é mais difícil se o acesso a ela for através do PC e, sobretudo, através da Net. Claro que se pode fazer um copy/paste para um processador de texto desde que se não perca a formatação.
Não me queres oferecer uma antologia digitalizada para ir lendo nos tempos livres?
Num ponto concordo que enquanto dura o amor parece infinito, só que tem que ser refeito ou reconquistado ou reconstruído no dia a dia. em cada dia que passa.Só assim a consciência da sua finitude o poderá tornar infinito.
Bjo grande
VM

10:29 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Que seja infinito enquanto dure como diz Vinicius.Há lá coisa mais bonito do que o amor?
E os teus poemas, Maria,trazem a paz, a doce serenidade que neste momento preciso. A saudade de quem há muito pouco tempo partiu intensificou-se com as férias e fundiu-se com a dor.
Beijinhos pela amizade sempre contida nas tuas doces mensagens.

10:31 da tarde  
Blogger Amla said...

o k hei-de dizer?
Nada. Não há nada k se possa dizer. Lemos e amamos.
Suave e gentil, suave e forte, Sempre.
Sobre o "meu salão" falaremos qnd quiseres...LOL***

Bjs
Luz e paz smp ao teu redor e em teu caminhar

10:33 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Obrigada Victor por teres aparecido!
Tens razão; é muita poesia esta que vou dando a conhecer nos 3 blogs, mas felizmente muita mais existe, uma pequena parte publicada e muita por publicar, embora esteja a trabalhar nisso.
A Musa às vezes é fértil, muito fértil mesmo e vai dando para eu não ficar "tão secura" em tempo de "defeso"...
Um beijo da
Maria Mamede

10:36 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Victor, desculpa, não respondi à tua pergunta!!!

É claro que poderei fazer isso, mas como sou um desastre nestas matérias, estabeleceremos contacto para que me ensines o que devo fazer.

Enviarei mail para outros pormenores.

Beijo

Maria Mamede

10:40 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Isabelinha, boa noite uma vez mais, Amiga!
É mesmo assim que eu sinto...Infinito enquanto dura...
e creio nada mais poder pedir à vida, nesta matéria!

Beijo e pra cima !!!

Maria Mamede

10:42 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá AMLA, boa noite, de novo!
Obrigada pela visita.
Na finitude de tudo, o Infinito do Amor que afinal dura tanta vez apenas o tempo dum Poema!!!

Beijos Amiga

Maria Mamede

10:44 da tarde  
Blogger Maria said...

Querida Maria

Os teus sonetos de amor são únicos. Trazem uma paz e uma calma, tão boas de sentir nestes dias quentes e noites de insónia...
... e sempre o amor, sempre infinito, enquanto dura, não é?

Beijinhos meus
(que acredito que o amor pode ser infinito, mesmo)

2:15 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Maria, boa tarde!
Como cheira bem a tua ilha Amiga!
Obrigada por apareceres e por gostares.
Anda bem que acreditas, mas na dúvida, que seja eterno enquanto dure!!!

Um beijo da

Maria Mamede

1:47 da tarde  
Blogger lena said...

minha doce e amiga Poeta

mais dos teus belos sonetos que partilhas

o infinito tem sensibilidade, amor, ternura, verdade... não tem limite

é como a tua poesia, suave, doce, maravilhosa, serena, cheia de beleza, de força de sentires... não tem limite

sabes que te adoro ler, isso dá-me prazer e alimenta-me

obrigada minha querida Poeta, obrigada doce Maria Mamede

o meu abraço sempre presente

o carinho, a ternura e minha amizade estão contigo

um beijo

lena

9:13 da tarde  
Blogger margusta said...

Querida Maria Mamede,
...fiz uma pausa na minha pausa, para por instantes vir visitar os amigos.

Adorei o seu soneto!...Infinito é o Amor enquanto dura...SIM...Tão verdadeiro!...Tão sábio!...


Um beijinho carinhoso para si, e obrigada pelas palavras que me deixou na sua ultima passagem nos meus " Momentos Sentidos"

3:49 da tarde  
Blogger TINTA PERMANENTE said...

Como canta a Bethânia que seja infinito enquanto dure...
Abraço.

5:13 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Querida Lena, boa noite!
Obrigada por teres vindo Amiga!
Como sempre as tuas palavras fazem-me bem; é bom ter quem nos aprecie, quem diga tão meigamente o que as nossas palavras fazem sentir e acreditar nisso.

Beijos minha querida e boa noite.
Que os Anjos te aconpanhem.
Maria Mamede

8:21 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Margusta, boa noite...
Que bom que gostou Amiga, que bom!
Melhor ainda é a sua concordância;
sinal de que já sofreu por amor e que sabe do que ele é capaz!

Um beijo e bom fim de semana.

Maria Mamede

8:23 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Meu querido Amigo "Tinta Permanente", muito boa noite!
Que bom vê-lo por cá!!!
É Amigo, cantado pela Bethânia ou somente dito pelo Vinicius, tanto faz; é belo, verdadeiro e sinal de vivência...que o sente, quem o viveu (ou vive), sabe bem das partidas que nos prega!

Um abraço de todas as cores da
Maria Mamede

8:26 da tarde  
Blogger Victor Nogueira said...

Olá, amoga
De amor e da Terra recolheu-se em silêncio contemplando a Natureza e a Humanidade. Será?
Bjo
Victor Manuel
Sábado, dia do Senhor, porque da Senhora são ou eram todos, com as lides domésticas ;-)
o8.11

11:35 da manhã  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Victor!
Às vezes, Amigo, "outros valores mais altos se alevantam..." e deixamos um pouco para trás aquilo de que gostamos.
Mas já estou de novo "na luta", um pouco "desasada" é certo, mas em pé,"como as árvores"!!!

Abraço da

Maria Mamede

12:28 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Passei para reler o teu poema , deixar-te beijinhos e desejar um bom fim de semana.

4:08 da tarde  
Blogger Bichodeconta said...

Como uma pintura, um bordado ou uma flor! Sempre expresso o mesmo tralento, a mesma força de trilhar os caminhos da poesia, caminhos inatingíveis digo eu, que amo poesia, a sua poesia.. Um beijinho Maria..

8:33 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Isabel, obrigada pela tua visita.

Um beijo e bom fim de semana

Maria Mamede

11:09 da tarde  
Blogger De Amor e de Terra said...

Olá Ell, boa noite!
Obrigada pela sua visita.
E fico muito feliz por gostar da minha poesia.
Um beijo e
Votos dum bom fim de semana

Maria Mamede

11:13 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home