domingo, abril 19, 2009

ABRIL...

Queridos Amigos e Amigas,

há alguns anos atrás, escrevi um sonetilho que aqui vos deixo.
Infelizmente desde essa altura que se mantém actual:
Contudo, continuo teimosa e esperançosamente a acreditar no Futuro
Beijos



ABRIL DAS ÁGUAS MIL


Quando foi Abril, no tempo certo
de esperanças mil, de ideais
cada um de nós foi muitos mais
e Abril se abriu, foi tempo aberto...

quando se diss' Abril ao mundo inteiro
nesse Abril d'águas choveu flores
e arderam paixões, fogo de cores
nesse Abril, pra muitos o primeiro...

e choveu águas mil nos corações
águas de paz sem dor silente
águas dum futuro conquistado...

mas depois, só choveu desilusões
E o Abril, de novo mais descrente
é outra vez às águas condenado!...


Maria Mamede

24 Comments:

Blogger Isamar said...

Lindíssimo, minha querida amiga. Um dia destes, se mo permites, colocá-lo-ei no meu blogue.
Abril,Abril, esperanças mil! A vê-las , agora, por um funil!
Cantemos até que a voz nos doa. Nós queremos que Abril continue a ser de Igualdade, Fraternidade e Liberdade.E que dure o ano inteiro.

Beijinhos mil

Bem-hajas!

10:33 da manhã  
Blogger casa da poesia said...

abril abril...águas mil!!!...e para ti...

"the flowers are all right"...!?...

4:06 da tarde  
Blogger Lmatta said...

belo poema como sempre
beijos

4:36 da tarde  
Blogger contracena said...

Tinha eu 15 ou 16 anos quando o 1º ABRIL aconteceu. Marcou-me profundamente.
Que vença a teimosia!

Beijo.
Fátima.

6:42 da tarde  
Blogger Maria said...

Querida Amiga

Estás nas nossas mãos fazer Abril ACONTECER!!!
Eu não desisto, nós não desistimos...

Beijinho grande, Maria Mamede

7:30 da tarde  
Blogger Ana said...

O teu poema continua actual. Mas continua também a ser belo.
Um cravo para ti, Maria Mamede.

8:29 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Muito actual! Muito belo o teu sonetilho. Beijos.

9:55 da tarde  
Blogger Meg said...

Querida Maria Mamede,

Lindo o poema que se mantém, infelizmente, bem actual.

(...)mas depois, só choveu desilusões
E o Abril, de novo mais descrente
é outra vez às águas condenado!...
Um beijo

11:49 da manhã  
Blogger Maria Clarinda said...

Excelente, Amiga!!!!!E assim teremos que coninuar!
Jinhos muitos

12:39 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

"cada um de nós foi muitos mais
e Abril se abriu, foi tempo aberto..."
Foi mesmo assim. Queremos que continue. Que fazer, minha Amiga?
Beijos.

1:18 da tarde  
Anonymous Nelson Ferraz said...

"Heróis do mar, nobre polvo", um hino novo, escuro. Um sinal.

Mas... também nós: os outros.
E nós... nós, ainda, valemos cada pátio desabrigado da memória.
Estaremos sempre por perto: num gomo de papel ou numa folha de tinta.

8:40 da tarde  
Blogger MPereira said...

Este comentário foi removido pelo autor.

8:53 da tarde  
Blogger Patrícia said...

Eu adoro a tua poesia, Maria. É simples, tocante, as palavras têm tanto sentido e inspiram. Pelo menos a mim inspiram.
Cada poesia é fabulosa. Gosto muito de vir aqui.

Beijinhos Maria=)
Patrícia

10:23 da manhã  
Blogger José Rui Fernandes said...

Este comentário foi removido pelo autor.

12:13 da tarde  
Blogger José Rui Fernandes said...

Este comentário foi removido pelo autor.

12:22 da tarde  
Blogger José Rui Fernandes said...

Agora que já floriu
a esperança na nossa terra
as portas que Abril abriu
nunca mais ninguém as cerra.


in As Portas que Abril Abriu,
José Carlos Ary dos Santos

12:27 da tarde  
Blogger contracena said...

Boa tarde Maria Mamede!
..., não sou uma jovem. Fazendo bem as contas: tinha 15 anos aquando do 1º Abril, se somar mais 35, dá a minha idade actual.

Maria, espero que não se importe, mas tomei a liberdade de colocar o poema que escreveu como comentário numa das minhas publicaçõs, lá ao lado.

Beijinho e obrigada por todos os seus comentários. GOSTO!!!

1:37 da tarde  
Blogger Serenidade said...

Maria,

eu acredito no Amor, acredito na Paz, acredito no Homem que se relembrará que a Natureza é soberana e o coração do Homem aquele que o deve guiar na Vida.

Serenos sorrisos

11:01 da tarde  
Blogger Nilson Barcelli said...

Brilhante poema cara amiga.
E como eu te percebo.... porque de facto o poema poderia ter sido escrito neste Abril.
Beijos.

12:01 da manhã  
Blogger contracena said...

A Maria não podia ser mãe aos 12 anos.
..., não tenho o meu e-mail disponível nem MSN.

Beijinhos.

12:23 da manhã  
Blogger Multiolhares said...

Muito bonito e como dizes actual o teu soneto, mas vamos acreditar que tudo pode mudar, a esperança ainda vai vivendo em nós
beijos

5:56 da tarde  
Blogger Maria Faia said...

Querida Amiga,

É belo o teu soneto, como aliás, tudo quanto aqui leio.
Hoje venho desejar um feliz dia da Liberdade.
Que as comemorações deste dia de Libertação renovem em nós a esperança na construção de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária.

Um abraço amigo,
Maria Faia

3:38 da manhã  
Blogger Ed. G said...

Olá Querida Maria,

É com grande entusiasmo que, exalo todo o meu sentir, depois de ler palavras tão lindas de uma "flor de abril".
Pois, admirado fiquei, pela grandiosidade de uma forma de expressão perfeita,

Com beijos amistosos me despeço,
Saudações Lusitanas,
Edg

5:33 da manhã  
Blogger MADRUGADA... said...

É isto que me encanta!

Terno beijo.

2:07 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home