domingo, outubro 11, 2009

Mãe

Tuas mãos
sempre foram
a casa
o colo
a asa
o consolo...
húmus
rito
bálsamo
grito
corpo
e infinito!...


(do livro "MÃOS")

15 Comments:

Blogger Paula Raposo said...

Muito belo!! Beijos.

7:53 da tarde  
Blogger Contracena said...

Ah..., assim... sim, para quem gosta de a ler!

Mãe, eu sou! Belo!

Beijinho.
Fátima

10:32 da tarde  
Anonymous utopia das palavras said...

Quanta força têm essas mãos, mão da terra...genuína criatura!

Tanto que gostei do poema!

Um beijo

12:10 da tarde  
Blogger Patrícia said...

Em poucas palavras conseguiste dar um toque tão especial e teu à palavra Mãe. Mas na minha opinião nunca será uma palavra com definição...

Beijinhos Maria=)
Patrícia

7:04 da tarde  
Blogger São said...

Feliz de quem pode dedicar um poema assim à mãe.

Um abraço

8:11 da tarde  
Blogger Inês said...

Ai, que beleze sua poesia!
Parabéns pelo seu trabalho!
Serei sua seguidora. Inês.

11:28 da tarde  
Blogger José Rui Fernandes said...

Este comentário foi removido pelo autor.

12:27 da tarde  
Blogger José Rui Fernandes said...

E porque hoje é 13 de Outubro, e sou crente católico, lembro a Mãe que nos abraça do infinito Céu!

Lindo poema, Maria Mamede, em curtos lampejos que tanto dizem!

Um beijo,
JRF

12:29 da tarde  
Blogger Susete Evaristo said...

Primeiro devo pedir apresentar as minhas desculpas e ao mesmo tempo agradecer as suas amáveis palavras. Na realidade tinha quase a certeza de já uma vez ter endereçado um pedido nesse sentido e ter recebido o seu consentimento.
Se não procedi como é meu hábito mais uma vez me desculpe. Quanto ao seu nome, eu sempre coloco o nome do autor e muitas vezes até a morada do blogue de onde copiei.
O meu (Imagens e poemas)foi pensado para dar a conhecer os poetas de lingua Portuguesa e incentivar à sua leitura.
Beijinhos
Susete

10:03 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

As mãos da mãe têm toda a força que nos falta...
Muito belo. Um beijo.

3:31 da tarde  
Blogger Filoxera said...

Mais mãos.
E são beals, estas...
Um beijo.

11:42 da tarde  
Blogger Belisa said...

OLá :)

Já não passava por este lugar
Tão lindo de ler e de encantar
Mas hoje ouvi alguém chamar...
As mãos da minha mãe quero agarrar!

Beijos estrelados

4:50 da tarde  
Blogger Lmatta said...

lindo como sempre
beijos

5:33 da tarde  
Blogger elvira carvalho said...

Um belo poema que denota um grande amor filial.
Um abraço e bom Domingo

1:29 da manhã  
Anonymous Manuela Carneiro said...

Bonito poema!
Que saudades eternas eu tenho, nas simples verdades que escreves e me fazem sentir!

Bjis

4:31 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home