segunda-feira, novembro 15, 2010

CARTA

Filha,
este ano estão tão doces
as romãs!
Que pena esta distância
a separar-nos;
seria bem mais fácil
conversarmos
do amor, da vida
e das romãs...
e apesar de seres verão
'inda começo
e eu
este outono
onde tropeço
e caio, em queda lenta
no inverno
ele teria para mim
um doce encanto
de seio, de colo
de acalanto
se este longe
não doesse tanto
e pudessemos conversar
sobre as romãs!...

Maria Mamede

5 Comments:

Blogger Maria said...

Cheia de ternura, a tua carta.
Outono seremos, prestes a tombar no inverno. Mas será um inverno longo...

Beijinho, Maria Mamede.

2:03 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

Uma carta com amor, saudade e gosto de romãs...
Um belo poema!
Um beijo.

11:48 da manhã  
Blogger tecas said...

Poema de saudade e amor de mãe.Tão cheia de ternura comovente, a tua " Carta" Maria Mamede, que chegará à tua linda filhota.
Mil bjitos amigos

5:23 da tarde  
Blogger Mariz said...

Que linda carta...seriam bem essas as minhas palavras para uma filha...distante!

Grata!

Sempre..
MAriz

7:48 da tarde  
Blogger Lidia said...

cara Maria Mamede,

aqui de muito longe leio seus escritos e me deleito.
em especial esse como mãe que também sou, me fez pensar que deveria lhe escrever e abraçá-la como a filha que fui.
receba o meu abraço de admiradora brasileira,
com ternura e respeito
lidia meireles

10:17 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home